Fale Conosco

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quis, asperiores doloribus cum laudantium

Artigos

Faça uma busca por Noticias e Artigos
8 de outubro de 2019

Veja quais são as principais metodologias de gestão de projetos

Um gerente de RH é conhecido por sua habilidade em liderar equipes. Porém, essa eficiência não consegue ajudá-lo a estruturar, definir e acompanhar os processos fundamentais da sua área. Embora já tenha adotado muitas tecnologias de gestão, parece que essas ferramentas tornam tudo ainda mais complexo.

Mas a solução para esse desafio pode estar nas metodologias de gestão de projetos.

Você conhece essas boas práticas? Sabe quais vantagens apresentam para as empresas? Quer implantá-las na sua organização? Então, este artigo foi preparado para você. Acompanhe!

Por que desenvolver boas práticas de gestão?

Imagine que você tenha comprado um equipamento com muitas peças que precisam ser montadas para que tudo funcione bem. Acha que essa tarefa será fácil sem a ajuda de um manual de instruções? É claro que não! O mesmo acontece em uma empresa quando não há um gerenciamento de projetos.

As tarefas e demandas internas ficam soltas e desconectadas, prejudicando a eficiência das estratégias e a inovação do negócio.

Por outro lado, quando uma metodologia é implantada, a organização consegue sistematizar seus serviços e objetivos, facilitando a concretização deles. Além disso, é possível identificar deficiências e procurar soluções para saná-las. Talvez seja preciso investir no desenvolvimento da equipe, implantação de ferramentas virtuais ou fomentar a adaptabilidade no ambiente interno.

Visto que dificilmente uma organização gerencia apenas um projeto por vez, se não houver um trabalho cuidadoso e organizado, os serviços não sairão com qualidade. Em contrapartida, a sistematização simplifica as etapas dos processos facilitando não só a sua excelência, como também otimizando as tarefas dos gestores e dos colaboradores.

Quais são as principais metodologias de gestão de projetos?

Ao longo do tempo, foram surgindo novas metodologias de gestão de projetos que apresentaram soluções incríveis e práticas para as organizações. Não é que uma seja melhor do que a outra, mas dependendo das necessidades específicas de um negócio, uma delas pode ser a mais indicada.

Caminho crítico

Na década de 50, o caminho crítico foi desenvolvido e apresentado como inovador. Nesse contexto, entende-se que um projeto tem etapas que são vinculadas e dependentes. Por isso, uma tarefa só pode começar quando a outra for finalizada, formando assim o caminho crítico do projeto.

Em resumo, para ter sucesso com essa forma de administrar projetos, é necessário priorizar as etapas mais importantes, pois a falta da execução delas bloqueará o caminho para as próximas. Essa situação não pode ocorrer, uma vez que todas as tarefas têm prazos que, se não forem cumpridos, afetam todo o projeto.

Gestão de qualidade

Essa metodologia foi criada pela International Organization for Standardization (ISO), e é conhecida também como a norma ISO 10006:1997 — um conceituado padrão internacional de gestão de projetos. As diretrizes contidas nessa metodologia visam garantir a padronização e a excelência dos serviços dos projetos corporativos.

Para que seja implantada, a gestão de qualidade precisa alcançar as seguintes metas:

  • envolver os colaboradores;
  • focalizar no cliente;
  • destacar a função da liderança;
  • promover a melhoria contínua;
  • aproximar os processos;
  • ter um bom relacionamento com o fornecedor;
  • tomar decisões embasadas em práticas eficientes.

IPMA

Diversas associações internacionais voltadas para a gestão de projetos uniram-se para divulgar técnicas e conhecimento para as organizações. Com isso surgiu a Internacional Project Management Association (IPMA) — empresa sem fins lucrativos.

A metodologia criada pela IPMA se baseia em competências como: comportamento, experiência, nível acadêmico e outras, que seriam os pilares de uma gestão de projetos eficiente. Essas habilidades são divididas em técnicas contextuais e comportamentais.

Scrum

O Scrum foi pensado para otimizar o desenvolvimento de produtos e pode ser utilizado com facilidade na gestão de projetos. Podemos dizer que faz parte da metodologia ágil que envolve um conjunto de ações voltadas para a rapidez dos serviços de uma equipe, de uma tecnologia ou do relacionamento com o cliente.

Em vez de enfocar o resultado final, o Scrum concentra-se em pequenas etapas. Sendo assim, o objetivo principal é dividido, por exemplo, em 4 semanas ou sprints. Ao finalizar cada uma dessas fases, a equipe é reunida para avaliar os resultados, apontar os erros, melhorar os acertos, identificar desafios e planejar o próximo sprint.

Waterfall

Muito utilizada nos setores de produção e construção, a metodologia Waterfall (em português, cascata) foi a primeira a ser adotada na Engenharia de Software. O objetivo dela é executar uma sequência de etapas, em ordem lógica e precisa, finalizando em um determinado resultado.

Assim como o caminho crítico, a Waterfall inicia uma fase desde que a antecessora tenha sido concluída. Além disso, qualquer alteração no escopo do projeto interrompe o fluxo das tarefas e pode contribuir para vários transtornos. Devido a isso, essa metodologia não é considerada flexível. Para implantá-la, é fundamental atravessar as seguintes etapas:

  • engenharia de ideias;
  • desenvolvimento do sistema;
  • implementação;
  • teste;
  • validação;
  • manutenção.

Zoop

A Zoop é de origem alemã e foi concebida entre os anos 70 e 80. Ela refere-se ao planejamento de projetos orientados por objetivos e é constituída por quatro etapas que ajudam no acompanhamento das demandas. Estas fases são:

·     análise;

·     elaboração;

·     prática;

·     avaliação;

·     resultados.

Devido à sua solidez, essa metodologia é muito conceituada e utilizada no mundo corporativo. Outro motivo para isso é o seu aspecto colaborativo, ou seja, ela permite que grupos de pessoas interajam com facilidade durante a execução do projeto.

Project Model Canvas

Podemos dizer que o Canvas é a celebridade das metodologias e foi eternizado não só pelas organizações como também pelos aplicativos virtuais. Em resumo, o Canvas propõe a troca de toda a documentação de um projeto por post-its. Essa forma de gestão torna as etapas de um projeto mais visuais, simples e objetivas.

Para que funcione bem, o gestor e os demais integrantes de um projeto devem estudar as tarefas e organizá-las em colunas que representam cada etapa, além de descrevê-las nos respectivos post-its. O projeto avança nas colunas, ao passo que as etapas vão sendo concluídas.

Sendo assim, não há motivos para a falta de gerenciamento nas tarefas. Para evitar isso, basta escolher a metodologia que mais se encaixe com a realidade da empresa, desenvolvê-la e implantá-la nos moldes internos.


Entre em Contato

ligue-agora

Fale conosco(85) 3267.4307

Deixe seu comentário