Fale Conosco

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quis, asperiores doloribus cum laudantium

Artigos

Faça uma busca por Noticias e Artigos
14 de maio de 2019

Por que você deveria investir em um plano de desenvolvimento individual?

Se você deseja treinar melhor os seus funcionários e ter mais gestores capacitados dentro de sua própria equipe, é fundamental confeccionar um plano de desenvolvimento individual (PDI) para cada colaborador.

Esse documento ajuda a alinhar as estratégias do negócio aos objetivos de cada funcionário enquanto eles se aperfeiçoam profissionalmente na empresa, de modo a contribuir para o sucesso em suas carreiras.

Por meio da aplicação do que foi proposto no PDI, o colaborador consegue desenvolver novas habilidades e corrigir determinados comportamentos para aumentar a chance de alcançar seus objetivos profissionais.

Quer saber mais sobre a importância desse plano? Continue a leitura!

Por que é importante elaborar um plano de desenvolvimento individual?

O PDI consiste em um planejamento — que pode ser feito entre empresa e funcionário — para o desenvolvimento da carreira de um profissional. Também é montado com o objetivo de trabalhar competências necessárias para que a pessoa assuma funções específicas na organização.

Sendo assim, o PDI atende a interesses de ambos os lados, sendo importante para a formação de profissionais cada vez mais capacitados e aptos a exercerem cargos de liderança.

Vale destacar que o planejamento ajuda a atender demandas organizacionais no curto, médio e longo prazo. Ele também permite aos trabalhadores acompanhar o crescimento da empresa, construindo uma carreira enquanto a organização se expande.

Para a organização que aplica os PDIs em sua equipe há uma grande vantagem: ela passa a contar com um banco de talentos que pode assumir demandas imediatas ou futuras. O melhor é que esse grupo, além de capacitado, está em sintonia com a cultura organizacional.

O que deve conter esse plano?

Existem alguns pontos que não podem ficar de fora de seu plano de desenvolvimento individual. Veja quais são eles a seguir.

Estabelecer objetivos e metas profissionais

Antes de tudo, saiba que no PDI é preciso incluir as metas e os objetivos do profissional. Dessa forma, ele saberá o que precisa alcançar e poderá pensar em formas de se dedicar a esse objetivo. Também servirão como parâmetros para que o colaborador avalie o seu progresso.

Entender os pontos de melhoria

É necessário mapear os principais pontos fracos do profissional para que eles sejam corretamente trabalhados em treinamentos direcionados. Por exemplo, se o funcionário tem dificuldades de falar em público a empresa poderá encaminhá-lo para um curso focado no desenvolvimento dessa habilidade.

Analisar as potencialidades

Do mesmo modo que as fraquezas, os pontos fortes merecem destaque no PDI. Isso porque a equipe poderá ter esses aspectos em mente para direcionar o profissional ao setor ou cargo mais condizente com suas habilidades e talentos.

Quais aspectos de personalidade e comportamento avaliar?

Para escolher os pontos de personalidade e de comportamento para avaliar, de modo a reforçá-los ou desenvolvê-los no PDI, é preciso considerar os objetivos do colaborador— e até da empresa. Se o foco é preparar um gestor, então é preciso analisar traços necessários para essa função, como:

  • boa capacidade de comunicação;
  • sociabilidade;
  • capacidade de focar em propósitos claros e definidos;
  • habilidade em engajar colaboradores;
  • bom humor;
  • boa observação de pessoas e processos;
  • capacidade de orientar e atuar como “mentor” ou “professor” dos seus liderados, de modo a auxiliá-los em seu desenvolvimento etc.

Também é importante considerar a área de atuação. Por exemplo, um gestor de RH precisa ser receptivo e, muitas vezes, paciente para lidar com colaboradores e conflitos entre profissionais na empresa.

Já um gestor comercial, deve ser proativo e comunicativo, além de apresentar boa habilidade de negociação para fechar acordos com potenciais clientes.

Como saber em que melhorar e identificar potencialidades?

Existem ferramentas e metodologias que podem ajudar a monitorar os pontos que precisam ser melhorados na carreira. Selecionamos algumas a seguir.

SHAZAM

Conjunto de perguntas que ajudam a compreender o senso de propósito do profissional em um espaço de tempo reduzido. Também contribui para o mapeamento de valores, crenças, entre outros pontos do indivíduo por meio de questões indiretas, de modo a trazer essas informações de seu inconsciente. É uma técnica básica de coaching.

Avaliação 360º

A Avalização 360° consiste em uma análise completa do profissional — inclusive de quem é gestor. Envolve autoavaliação e análise de pares, liderados e superiores, a fim de levantar informações sobre como cada profissional é visto pelos demais.

Isso ajuda a destacar seus pontos de deficiência e suas qualidades, especialmente as mais presenciadas e “sentidas” pelos colegas.

No caso da autoanálise, é preciso ter cuidado com o que o colaborador aponta, pois ele pode subestimar ou superestimar suas competências ou qualidades, dificultando uma avaliação mais precisa de sua condição profissional.

Roda das Competências

Essa ferramenta é representada por um esquema gráfico em formato de “pizza”, no qual é possível medir itens como:

  • criatividade;
  • orientação para resultados;
  • orientação para clientes;
  • empreendedorismo;
  • comunicação;
  • inovação;
  • relacionamento interpessoal;
  • liderança de equipes e trabalho.

É preciso dar notas a esses pontos para ajudar o profissional a identificar suas potencialidades. Assim, ele poderá considerar os resultados alcançados em cada tópico e em relação ao gráfico gerado. Logo, poderá refletir melhor sobre o que é necessário mudar.

Indicadores de desempenho

Outra forma de identificar quais pontos precisam ser melhorados e em que aspectos o profissional se sobressai é avaliando a sua performance. Isso pode ser feito com o uso de métricas de desempenho.

Esses índices conseguem converter aspectos do dia a dia da rotina de trabalho em números palpáveis ou, ao menos, indicam que fatores de performance estão abaixo ou dentro do esperado.

Por meio deles, é possível mapear em quais processos os colaboradores são melhores e saber por que isso ocorre. Com os dados gerados em mãos, o avaliador poderá notar que qualidades dos indivíduos os levam a obter bons resultados. Eles também permitem entender em que atividades os profissionais apresentam maiores dificuldades e, portanto, quais capacidades precisam adquirir ou melhorar.

O PDI é importante para o colaborador alinhar desejos, habilidades e objetivos profissionais ao que a empresa espera enquanto se aprimora. Além disso, quando seus resultados são acompanhados de perto, é possível corrigir ações de capacitação que não contribuem para o indivíduo e nem para a organização.

Vale ressaltar que o plano de desenvolvimento individual tem grande importância para a ascensão profissional de cada colaborador. Quando realizado em conjunto com o negócio, pode transmitir a mensagem de que a organização se preocupa com seus funcionários.

Quer mais orientações para aprimorar a gestão de pessoas da sua empresa ou sua carreira profissional? Assine nossa newsletter e receba avisos de nossos próximos artigos em seu e-mail!

Entre em Contato

ligue-agora

Fale conosco(85) 3267.4307

Deixe seu comentário